Parque Natural Sintra Cascais

O Parque Natural de Sintra-Cascais foi criado em Março de 1994 por reclassificação do anterior estatuto de Área de Paisagem Protegida de Sintra Cascais, abrangendo uma área paralela à faixa litoral que se estende desde a Cidadela de Cascais até à foz do Rio Falcão, à Serra de Sintra e à área agrícola a norte de Várzea de Colares, tendo como principal objectivo salvaguardar os recursos naturais e paisagísticos, nomeadamente, flora e fauna.

Parque Natural

O parque está como que dividido em duas zonas distintas: a zona agrícola que produz sobretudo fruta, vinho e produtos hortícolas, e a zona costeira, com praias, falésias e dunas. Nesse aspecto, a área circundante de Magoito traduz na perfeição a simbiose entre a zona predominantemente de mata de pinhal, agrícola e a praia com as suas dunas fósseis.

O Parque apresenta uma espantosa diversidade de ambientes e paisagens, incluindo florestas, lagoas, dunas, uma acidentada linha de costa em que altas arribas são entrecortadas por encantadoras praias, o imponente Cabo da Roca e, no centro, a magnífica Serra de Sintra e toda a área classificada pela UNESCO como paisagem cultural património da Humanidade.

No território do Parque prosperam diversas espécies de carvalhos, eucaliptos e pinheiros e toda a exuberante vegetação da serra de Sintra, própria do microclima que aqui existe. Em termos de fauna, o parque possui aves de rapina, como falcões, corujas, gaviões e também marítimas, como gaivotas e pardelas. Encontram-se também diversas espécies de répteis e anfíbios, como salamandras e sapos, e, claro está, diversas espécies de mamíferos, como coelhos bravos, raposas, toupeiras e ouriços.

Invulgarmente próximo de uma grande metrópole como Lisboa, o Parque Natural Sintra-Cascais conseguiu preservar todo o território envolvente do ponto mais ocidental da Europa (Cabo da Roca) e fazer coexistir harmoniosamente a Natureza e a presença humana num território tão desejado para construção, evolução económica e turística.