O Solar do Magoito foi construído em meados do século passado e era utilizado essencialmente como quinta de habitação de veraneio. No seu início tinha como espaços habitacionais o Solar e a casa dos caseiros. Para além da elegante simplicidade da capela que faz parte do edifício principal, contava com inúmeras infra-estruturas como cavalariças, pombais, capoeiras, estrumeira, poços, adega, lagares, etc.

História

Relativamente ao seu espaço verde, o pinhal é a vegetação dominante, mas a diversidade de plantas existente é notável. A flora original foi preservada embora a zona de vinha existente tenha sido desanexada da propriedade original e tenha dado lugar a um pinhal.

É bem patente nos seus espaços, o requinte e bom gosto da pessoa que mandou erguer este Solar, Virgílio Pereira da Silva. Decorações nobres são a sua característica mais visível. Os ogivados das entradas da capela, os fantásticos vitrais, os frescos, os lindíssimos e variados azulejos, a simbologia pintada nas madeiras e as tijoleiras alusivas a diferentes momentos da história de Portugal, fazem desta propriedade uma referência da região. Ilustres convidados passaram por aqui, como artistas, políticos, etc. Entre várias personalidades destaca-se o Almirante Américo Tomás, Presidente da República e amigo do proprietário, que foi visita por diversas vezes.

Após a morte de Virgílio Pereira da Silva, o solar esteve na posse de diferentes pessoas. Em 2005, foi adquirido por ainda familiares do proprietário original que levaram a cabo obras de restauro de todas as habitações e infra-estruturas. A preocupação constante e os devidos cuidados para não desvirtuar a essência do espaço original tornaram este solar num inconfundível espaço de lazer e bem-estar direccionado para o turismo de Natureza dentro de área protegida (Parque Natural Sintra Cascais).